Haus der Wannsee-Konferenz (Casa da Conferência de Wannsee)

  • SumoMe

No dia 20 de janeiro de 1942, numa mansão à beira do tranquilo e idílico lago Wannsee em Berlim, aconteceu a Conferêrencia de Wannsee. O assunto a ser discutido era a “solução final da questão judaica” (“Endlösung der Judenfrage”). Esta reunião altamente secreta foi convocada por Reinhard Heydrich, chefe da Polícia de Segurança (Sicherheitspolizei) e do Serviço de Segurança (Sicherheitsdienst – SD) e contou com a partipação de 15 representantes do alto escalão do regime nazista, incluindo diversos ministérios do governo e organizações nazista como a SS (Schutzstaffel).

Muitas vezes é afirmado que a decisão de exterminar os judeus da Europa foi tomada nesta reunião, entretanto naquele momento o extermínio já estava em curso. A discriminação legalizada contra os judeus começou logo depois dos nazistas chegarem ao poder em 1933. Gradativamente foram sendo criadas medidas e leis que lhes tirava os direitos de cidadãos e os colocava às margens da sociedade. Violência e pressão econômica foram usadas para que os judeus deixassem a Alemanha. Com a invasão da Polônia em 1939 (início da Segunda Guerra Mundial) começam as mortes aos judeus dos lugares conquistados pela Alemanha. O extermínio sistemático se acelera com a invasão da União Soviética em junho de 1941 – nas cidades e vilas ocupadas pelos nazistas ocorrem assassinatos em massa (em sua grande maioria por fuzilamento) da população judaica local, muitas vezes exterminando comunidades inteiras.


O objetivo de Reinhard Heydrich nesta reunião foi obter e garantir o envolvimento e cooperação dos líderes administrativos dos diversos órgãos do governo na organização e implementação da deportação dos judeus europeus para os campos de extermínio nas regiões do leste europeu ocupadas pela Alemanha. O Serviço de Segurança (SD) contava com a deportação de até 11 milhões de pessoas. Os participantes tomaram conhecimento dos métodos usados para matar que até então haviam sido testados, fizeram propostas e objeções dependendo dos interesses do órgão que representavam, mas em geral mostraram-se dispostos a colaborar.

De acordo com o protocolo da reunião, aparentemente uma boa parte dos seus 90 minutos de duração foi gasto com a discussão para definir quem era judeu e assim determinar quem seria deportado e consequentemente exterminado. Das 15 páginas de protocolo, 4 páginas tratavam exclusivamente deste assunto. Reinhard Heydrich era da opinião que os chamados “Mischlinge” (descendentes da mistura de cristãos e judeus) e o cônjuge judeu em “casamentos mistos” deveriam também ser deportado. Entretanto não houve um consenso e esta decisão seria tema de reuniões futuras.

A mesa com cópia do protocolo da conferência em sua íntegra

A Conferêrencia de Wannsee é tida como de grande importância histórica, pois possibilitou a coordenação  necessária para estender o genocídio por quase toda a Europa. Além disto representa e deixa claro o envolvimento de quase toda a administração do governo alemão neste genocídio.

Adolf Eichmann, diretor do departamento para os Assuntos Judaicos (Judenreferat) da Gestapo, foi o responsável por redigir a ata da reunião, a qual foi revisada diversas vezes por Reinhard Heydrich.  Trinta cópias, que foram carimbadas com “Altamente secreto”, foram feitas e enviadas para os participantes. Somente o exemplar de No. 16 foi encontrado, que pertencia à Martin Luther – um dos partipantes da reunião. Provavelmente este exemplar sobreviveu à destruição sistemática de documentos comprometedores antes do final da guerra porque Martin Luther se envolveu em uma intriga política que levou à sua prisão. Com isto seu departamento foi desativado e documentos foram retirados do seu escritório e depositados em um prédio no subúrbio da cidade.  Martin Luther morreu em um hospital de Berlim no início de 1945 em decorrência do seu aprisionamento.

Alguns dos participantes da Conferêrencia de Wannsee já não estavam mais com vida até o final da Segunda Guerra Mundial – Reinhard Heydrich morreu poucos meses depois da conferência em consequência de um atendado que sofreu em Praga praticado pela resistência checa. Alguns morreram nos anos seguintes ao final da guerra e outros tocaram suas vidas normalmente. Adolf Eichmann, que havia fugido para a Argentina foi capturado nos anos 60 por agentes israelenses e levado a Israel, onde foi julgado, condenado à morte e executado.

A casa onde aconteceu a Conferêrencia de Wannsee é hoje aberta ao público, atualmente é um museu e um memorial.  A exposição permanente intitulada “A Conferência de Wannsee e o genocídio dos judeus europeus” informa de maneira detalhada a história da perseguição aos judeus, desde os tempos da Idade Média até o ponto mais crítico a que chegou durante o regime nazista, informando ainda sobre épocas de convivência pacífica, sobre a integração dos judeus na sociedade alemã. E é claro que um dos focos centrais da exposição é a própria Conferência de Wannsee. Lá podemos ver a cópia completa da ata da reunião, assim como podemos ouvir áudios com os depoimentos de Adolf Eichmann, durante seu julgamento em Israel.

A Casa da Conferêrencia de Wannsee é aberta diariamente, das 10 às 18 horas. Fica fechada nos seguintes dias/feriados: Sexta-feira Santa, Ascensão de Cristo, 1º. de maio, 3 de outubro, 24 a 26 de dezembro, 31 de dezembro de 1º. de janeiro.

Preço: Grátis

Endereço: Am Grossen Wannsee 56-58 – Steglitz-Zehlendorf – 14109

Como Chegar:
S-Bahn: Linhas S1 ou S7 até a estação Wannsee, depois pegar o ônibus 114 (direção “Heckeshorn”) até a parada “Haus der Wannsee-Konferenz”

Atrações Próximas:  Lago Wannsee, Ilha do Pavão

Comentários - Facebook

Comentários

  1. avatar José Antônio Della Torre says:

    Realmente uma visão completa deste momento . Estou tentando achar o filme de 2001 e ainda não consegui e o anterior a esse está disponível no YouTube mas não está dublado. Se alguém puder passar informações de como conseguir , agradeço.

Deixe seu comentário

*