Stasimuseum (Museu da Stasi)

  • SumoMe

Stasi, que é uma abreviação para “Ministerium für Staatssicherheit” e que significa Ministério para a Segurança do Estado, era a polícia secreta da República Democrática Alemã, ou Alemanha Oriental. Era o órgão do governo comunista para repreender e oprimir seus cidadãos de maneira que o regime fosse mantido. Mas a Stasi também operava no exterior, tinha agentes fazendo espionagens e operações secretas.

Máquina fotográfica “escondida” atraz de um botão (de um casado, jaqueta)

A Stasi espionava e vigiava as pessoas constantemente, principalmente através de uma vasta rede de “Inoffizieller Mitarbeiter” (que significa funcionários não-oficiais). Como o nome já indica, Inoffizieller Mitarbeiter  eram pessoas que não eram formalmente empregadas da Stasi, mas que trabalhavam para ela. Estes “funcionários não-oficiais” deveriam vigiar pessoas do seu âmbito pessoal, de trabalho e muitas vezes até familiar e reportar seu comportamento e suas ações à Stasi.  As atividades observadas e informações sobre as pessoas espionadas eram detalhamente registradas e arquivadas.
Os cidadãos tinham que ponderar seus atos, suas palavras. Tinham que pensar o que dizer, a quem dizer, pois nunca sabiam se a pessoa com quem lidavam seria um informante ou não.

Máquina embutida em um galão – usado para espionagem

O objetivo era combater qualquer oposição política, muitas vezes usando os meios mais absurdos, como por exemplo, a técnica conhecida como Zersetzung, o que literalmente  significa decomposição, e que consistia em perseguir psicologicamente aqueles considerados pelo estado oponentes ou inimigos. Com as informações obtidas através de espionagem, a Stasi montava um perfil socio-psicológico da pessoa tida como inimiga e desta maneira usava seus pontos fracos (por ex., álcoolismo, traição, interesse por pornografia, dependências) para atacá-lo, geralmente disseminando boatos para assim expor a vítima.  Outras práticas incluiam a sabotagem de carro, danos materiais, envenenamento de alimentos, tratamento médico inadequado proposital, denúncias, escutas telefônicas, telefonemas misteriosos. Através de cartas e telefonemas anônimos, fotos comprometedoras (muitas vezes falsificadas), amizades, namoros, casamentos e relacionamento entre pais e filhos deveriam ser desestruturados. E geralmente as vítimas não sabiam que a Stasi era responsável por tudo isto. A idéia deste método era esgotar, desestruturar estas pessoas psicologicamente para que elas não tivessem mais forças para se rebelar ou agir contra o regime.  Muitas vezes sendo até indiferente que todo este terror psicológico levasse uma pessoa ao desespero total e ao suicídio.  A vantagem deste método para o governo comunista era que os danos causados não são óbvios ou difícies de serem comprovados, diferentemente de uma tortura física por exemplo. E isto era importante para a Alemanha Oriental, uma vez que nos anos 70 e 80 tentavam melhorar sua imagem internacionalmente.

Isto sempre me impressionou: quando uma pessoa era interrogada, um lenço era colocado no assento da cadeira, depois removido e guardado nestes potes. Se esta pessoa viesse a fugir, cachorros eram colocados para cheirar o lenço para assim poder rastrear a pessoa!!!

A Stasi ocupava muita gente – em 1989 eram 91.015 funcionários. Isto representava 1 funcionário para cada 180 morador, formando assim o maior serviço secreto da história. E isto sem contar os Inoffiziellen Mitarbeitern, que em 1989 eram 173.081.

Marcador de texto, que seria usado para fotocopiar documentos. 10 unidades chegaram a ser produzidas em 1989, mas não chegaram a ser usadas

A sede da Stasi ficava em Berlim Oriental, no bairro Lichtenberg, abrigada em um complexo gigantesco, composto por mais de 20 prédios. Após a queda do muro e do início da queda do regime  da Alemanha Oriental, demonstrantes invadiram a sede da Stasi, em 15 de janeiro de 1990.  Em dezembro de 1991 entrou em vigor uma uma lei que determina que os arquivos da Stasi fossem abertos, para que as pessoas afetadas, para àquelas que foram espionadas tivessem acesso ao seu registro, às informações que a Stasi coletou e armazenou sobre elas.

Hoje em dia no prédio Nr.1, onde ficava o escritório do Ministro da Stasi Erich Mielke, encontra-se o Museu da Stasi. E o escritório de Erich Mielke é provavelmente o que mais atrai a curiosidade das pessoas, pois foi mantido e preservado como era e faz parte da exposição do museu.

O escritório de Erich Mielke, o ministro da Stasi

Interessantíssimo também são os meios usados para espionar as pessoas: diversas máquinas fotográficas escondidas nos mais variados objetos estão expostas na museu. Além disto, a exposição trata de diferentes aspectos do sistema político, assim como trata da oposição e resistência ao regime.

O Museu da Stasi é aberto de segunda a sexta-feira das 10 às 18 horas; aos sábados, domingos e feriados, das 12 às 18 horas. Favor confirmar no site do museu os horários de funcionamento, uma vez que estes podem sofrer alterações.

Preço: Clique aqui para ver

Endereço: Ruschestraße 103 – Haus 1 (Prédio 1) – Lichtenberg – 10365

Como Chegar:
U-Bahn: Linhas U5, estação Magdalenenstr.

Atrações Próximas:  Alexanderplatz

Comentários - Facebook

Deixe seu comentário

*