Friedrichshain

  • SumoMe

Atualizado em março/2017

Friedrichshain é um bairro de Berlim e, assim como Prenzlauer Berg e Kreuzberg, é um dos bairros „da moda“ da cidade. E também como estes outros bairros,  Friedrichshain é conhecido por seus inúmeros bares, restaurantes, danceterias e lojas descoladas e interessantes. Em geral os moradores do bairro são mais jovens, alternativos, idealistas anti-capitalismo, estudantes e artistas.

Além da famosa East Side Gallery, onde há um trecho remanescente do muro de Berlim, não existem muitos outros pontos turísticos tradicionais. Existem outros marcos conhecidos, como a Karl-Marx-Allee, uma avenida com prédios em estilo socialista e o Frankfurter Tor (Portão de Frankfurt), que fica na junção das avenidas Karl-Marx-Allee e Frankfurter Allee. O Frankfurter Tor é composto por dois prédios idênticos, um de cada lado da avenida e em frente um do outro. É bem imponente e bonito. E ao fundo, no final da avenida pode-se ainda avistar a Torre de TV.

Mas Friedrichshain tem muito mais a oferecer, são muitas opções de lazer. E devido às inúmeras opções de lazer que oferece, o público que o bairro atrai também é  jovem e dinâmico. Além de bares, clubes e restaurantes, tem muita coisa interessante no bairro: a Mercedes Benz Arena, casa de shows e espetáculos, se localiza no bairro, na rua Revaler Strasse 99 tem um galpão com 1600 metros quadrados que tem pistas para skate indoor e no mesmo complexo tem um prédio em forma de cone com paredes para escalada, ou ainda uma pista de kart no quinto andar do prédio da loja de departamentos Galeria Kaufhof, na rua Koppenstrasse 8.

Os bares e restaurantes se concentram ao redor Simon-Dach-Strasse e da Boxhagener Platz, onde aos domingos acontece também um mercado de pulgas.

Vale muito a pena fazer um passeio em Friedrichshain, perambular pelas ruas, ver os grafites em muitos prédios e fachadas super interessantes, descobrir lojas interessante e sentar em um dos restaurantes ou bares e observar o público que anda por lá.  Olha abaixo um exemplo de um percurso pelo bairro: você pode descer na estação de metrô Frankfurter Tor (linha U5), onde já está o monumento de mesmo nome, ir pela Boxhagener Strasse, entrar na conhecida Mainzer Strasse (veja o porquê na história e curiosidades sobre o bairro), passar pela Boxhagener Platz e continuar pela Simon-Dach-Strasse. Mas esta é só uma orientação básica, não se restrinja somente a estas ruas, você pode ir entrando em outras pela caminhado e ir descobrindo o bairro.

Um pouco de história e curiosidades sobre Friedrichshain:  

O bairro tem este nome graças ao Parque Friedrichshain, construído em 1846 em homenagem ao rei Friedrich e que fica na divisa com Prenzlauer Berg. Friedrichshain se desenvolveu como um bairro industrial, lá foram construídas muitas fábricas e indústrias e nos anos 20 e 30  muitos comunistas se concentravam por lá. No decorrer da tomada de poder pelos nazistas o bairro foi palco de confrontos entre os comunistas e a polícia. Em um destes confrontos, Horst Wessel um integrante da polícia foi morto e os nazistas usaram este ocorrido como argumento para ataques e mortes a pessoas que tinham uma visão política diferente. Além disto o bairro foi renomeado em Horst-Wessel-Stadt, tendo este nome de 1933 a 1945. Durante a Segunda Guerra o bairro foi severamente danificado pelas bombas dos aliados que tinham como alvo as diversas indústrias que se encontravam no bairro. Após a ocupação de Berlim pelos aliados e a divisão da cidade em setores, Friedrichshain ficou no setor soviético.

No período de mudanças após a queda do muro de Berlim, muitos prédios foram invadidos por grupos de esquerda, principalmente vindos de Berlim Ocidental.  A Mainzer Strasse é um sinônimo deste “movimento”, de prédios invadidos – em novembro de 1990, houve sérios confrontos entre a polícia e os invasores que resistiam à desocupação.

Toda este movimento acabou criando uma cultura própria no bairro, onde eventos aconteciam, bares foram sendo abertos, etc. O que chamou a atenção e atraiu principlamente estudantes e pessoas jovens, também pelos aluguéis baratos em prédios ainda muito degradados.

Hoje em dia, grande parte dos prédios estão restaurados. A cada vez que vou lá tem mais um prédio com pintura nova, que na minha opinião é muito mais bonito e agradável. Mas há críticas – é como em Prenzlauer Berg – argumenta-se que com as restaurações há aumento nos aluguéis e as pessoas que moravam há anos lá não podem mais pagar e são obrigadas a se mudarem, dando lugar a “capitalistas”.

Mais fotos de Friedrichshain (clique nas fotos para ampliá-las):

Comentários - Facebook

Deixe seu comentário

*