Gedenkstätte Berliner Mauer – Bernauer Straße (Memorial do Muro de Berlim)

  • SumoMe

Memorial do Muro de Berlim na Bernauerstr.

O Memorial do Muro de Berlim é um memorial para lembrar a divisão de Berlim e as pessoas que foram mortas ou morreram ao tentar fugir para o lado ocidental. Neste local você poderá conhecer melhor a história do muro, sua construção, seu desenvolvimento, os fatos tristes e trágicos que estão associados com ele.  Conhecer este memorial é como fazer uma viagem no tempo, é uma verdadeira aula de história.

Pessoas fugindo pelas janelas na Bernauerstr.

Fonte: berliner-mauer-gedenkstaette.de

  

 

Pessoas fugindo na Bernauer Str.

Fonte: Landesarchivs Berlin (berlin.de)

 

O Memorial do Muro de Berlim está localizado na Bernauer Straße, rua que tem uma história única e trágica, que marca muitos acontecimentos deste capítulo triste da história de Berlim. A rua Bernauer Straße marcava os limites entre os bairros Wedding e Mitte e com a divisão de Berlim em quatro setores após a guerra, a rua acabou ficando em dois setores:  enquanto a rua em si pertencia ao setor francês (bairro Wedding), os prédios no lado sul da rua pertenciam ao setor soviético (bairro Mitte). Enquanto as pessoas podiam se movimentar livremente a vida transcorreu relativamente normal, mas quando repentinamente, na noite de 13 de agosto de 1961, as barreiras começaram a ser erguidas as pessoas se viram da noite para o dia bloqueadas e separadas de seus amigos e parentes. A rua foi palco de fugas desesperadas e dramáticas. Houve pessoas que com cordas desceram de seus apartamentos para a rua no lado ocidental, outras literalmente se jogaram das janela.  Muitas pessoas se feriram nestas fugas e houve até uma morte. No dia 22 de agosto de 1961, no número 48 da rua Bernauer Straße, Ida Siekmann se jogou da janela do terceiro andar do prédio e se feriu gravemente ao cair na calçada, morrendo mais tarde no hospital. Este foi o primeiro caso de morte no muro de Berlim.  As autoridades da República Democrática Alemã (RDA) (Alemanha Oriental) mandaram cimentar as janelas dos apartamentos que davam para o lado ocidental e os apartamentos começaram a ser evacuados, os moradores foram obrigados a deixar suas casas e ir morar em outros lugares. Algumas semanas após o início da construção do muro, todos os prédios da rua já havia sido esvaziados. À partir de 1963 os prédios começaram a ser demolidos. Túneis também foram cavados sob a rua Bernauer Straße, ligando o lado oriental com o ocidental e possibilitando assim a fuga de alguns alemães.

Memorial do Muro de Berlim na Bernauerstr. - Plaquinhas no chão

Plaquinhas no chão mostrando onde pessoas fugiram ou tentaram fugir

O Memorial do Muro de Berlim na rua Bernauer Straße é um museu a céu aberto, ele consiste de um trecho preservado do muro com a faixa de terra atrás que era chamada de “faixa da morte” – uma faixa com obstáculos e vigiada por soldados.   O memorial se estende por vários quarteirões da rua e em alguns trechos ao invés do muro, vigas de ferro marcam por onde o muro passava. Ao longo de sua extensão há colunas com quadros informativos, com textos (em alemão e inglês) e fotos que contam e mostram melhor como era o muro e como foi construído. Na esquina das ruas Bernauer Straße com Ackerstraße, há diversas placas de ferro redondas incrustadas na calçada que contam de forma sucinta sobre fugas ou tentativas: por exemplo,  “25.09.61 Fluchtversuch und Festnahme; Wilfried K.”, que significa “ Tentativa de fuga e prisão; Wilfried K.”. Em outro trecho há uma parede com a foto e/ou nome de todas as 136 vítimas do muro, em ordem cronológica.

Memorial do Muro de Berlim na Bernauerstr. - Parede com fotos das pessoas mortas no muro de Berlim

Parede com fotos das pessoas mortas ao tentarem fugir pelo muro de Berlim

Fazem parte ainda do memorial:  o Centro para Visitantes, localizado do outro lado da rua, serve como  um ponto de partida onde os visitantes podem obter informações e orientações sobre o extenso memorial.

O Centro de Documentação, também localizado do outro lado da rua, há a exibição “Berlim, 13 de Agosto de 1961” que mostra os fatos relevantes e as circunstâncias que levaram a construção do muro, a construção em si e como tudo afetou a vida as pessoas.  No Centro de Documentação há uma torre com um mirante de onde se pode ver o monumento, que na verdade é um trecho de 60 metros de comprimento do muro, com a “faixa da morte”, a torre de observação e postes de luz, tudo original no mesmo estado de quando ainda estava em operação. Não pode entrar neste trecho, ele é delimitado por duas paredes de metal com seis metros de altura. Em uma destas paredes há a inscrição “Em lembranca da divisão da cidade de 13 de agosto de 1961 a 9 de novembro de 1989 e em memória às vítimas da tirania comunista”.

Memorial do Muro de Berlim na Bernauerstr.

Trecho com a “faixa da morte” e uma torre de observação – visto do mirante

A Capela da Reconciliação, uma capela oval com fachada coberta com vigas de madeira. Neste mesmo local havia uma igreja protestante, com mesmo nome, e por estar exatamente onde era a “faixa da morte” foi demolida em 1985 pelo governo da Alemanha Oriental. Com a queda do muro e a criação do memorial, foi erguida a capela atual no mesmo local. A exibição “Estações Fantasmas”, na estação de metrô Nordbahnhof, mostra em fotos e textos distribuídos pela estação mais um lado absurdo da divisão da cidade. Diversas linhas de metrô de Berlim Ocidental passavam por estações que ficaram em território da República Democrática Alemã (RDA) e o metrô não podia parar nestas estações. Com o tempo, para evitar fugas, foram levantadas paredes pelo governo da RDA nestas estações. Os metrôs passavam então por estas estações abandonadas e com o tempo ganharam o nome de “estações fantasma”.

Memorial do Muro de Berlim na Bernauerstr. - Capela da Reconciliação

Capela da Reconciliação

Em todas as partes do memorial o acesso é gratuito. Os horários de funcionamento são de terça a domingo, das 9:30 às 19:00, nos meses de abril a outubro e das 9:30 às 18:00, nos meses de novembro a março. As áreas do memorial a céu aberto são acessíveis a toda hora o ano inteiro.

Memorial do Muro de Berlim na Bernauerstr.

Preço: Grátis

Endereço: Bernauer Str. 111, 13355 Berlim

Como Chegar:
S-Bahn: Linhas S1, S2, S25, estação Nordbahnhof
U-Bahn: Linha U8, estação  Bernauer Str.
Bonde: Linha M10, parada Gedenkstätte Berliner Mauer

Atrações Próximas: Mauerpark, Museu de História Natural de Berlim

Comentários - Facebook

Comentários

  1. avatar daniela says:

    Muito bom, não vejo a hora de voltar a Berlim…. Berlim… Berlim…. amo esta cidade… tenho uma ligação que não sei explicar… Obrigada pelo blog

  2. avatar Daniela says:

    Oi Isabel, vivo olhando o blog para matar a saudade, um dia vou morar em Berlim, só ainda não descobri como!

    Obrigada mais uma vez pelo blog e pela página no face!

    Abraços!!!

    • avatar Isabel says:

      Oi Daniela,

      obrigada por passar por aqui e deixar seu comentário – é sempre bom ouvir que alguém gosta de Berlim (e do blog também 🙂

      Seja sempre bem-vinda.

      Abs,
      Isabel

  3. avatar jurema says:

    Hallo Leute! Ich habe ein Kurzvortrag über dieses Thema gemacht! Viele Dank für die Aufmerksamkeit!!!!!!!!!!!111 Ich liebe dich Berlim!!!11234

  4. avatar Rosilene says:

    Olá, também eu e meu marido vamos conhecer Berlim em outubro. Com certeza vamos gostar muito, pois, já estamos pesquisando o que conhecer e tem muita coisa. Pura história.
    abraços.
    Rosilene.

  5. avatar Roberta Venticinque says:

    Estou organizando minha viagem para abril/maio e estou amando suas dicas!!!! Bjsss

  6. avatar Silvana says:

    Olá Isabel querida! Queria aqui parabeniza la por esfe blog cheio de informações maravilhosas que eu indico aos meus turistas e alguns pedem
    Pra eu fazer um semelhante simplesmente Frankfurt !! Mas cadê o tempo?? Agora aqui esfou montando roteiro
    Dos contos de fada !! Caramba ! Então vamos
    Trabalhando … Nossa profissão de guia nos engrandecem ….
    Abraços Silvana

    • avatar Isabel says:

      Oi silvana,

      Realmente nosso trabalho nos consome muito tempo, né?!?! E o blog, então?!? 🙂

      Ótimo trabalho aí em Frankfurt.

      Beijo,
      Isabel

Deixe seu comentário

*